Livros cristãos gratuitos para estudos bíblicos sobre salvação, o Espírito Santo, o Tabernáculo e o Apocalipse de João

HOME  |  MAPA DO SITE  |  CONTATO  |  AJUDA    
Estudos da Bíblia Livros Cristãos
Grátis
e-livros Cristãos
Grátis
Sobre Nós
 



 Os sermões em assuntos importantes por Rev. Paul C. Jong

 

A Cura dos Leprosos Espirituais


< Mateus 8:1-4 >
“Descendo ele do monte, seguiu-o uma grande multidão. Veio um leproso e o adorou dizendo: Senhor, se quiseres, podes me tornar limpo. Jesus estendeu a mão e o tocou dizendo: Quero, sê limpo! E imediatamente ele ficou limpo da lepra. Disse-lhe então Jesus: Olha, não o digas a ninguém, mas vai, mostra-te ao sacerdote e oferece a oferta que Moisés ordenou, para lhes servir de Testemunho.”



Dizem que um leproso dificilmente sente algum sintoma da lepra até três anos depois dele ter sido infectado com o vírus. Mas a partir do quarto ano, alguns sintomas começar a aparecer lentamente. E leva mais três anos até que ele não possa mais esconder sua doença dos outros, porque então seus sintomas são totalmente revelados. Essa é a natureza da lepra.

A passagem bíblica de hoje descreve Jesus curando um leproso. O evento descrito nessa passagem realmente aconteceu, e através dele, Deus revela a natureza dos nossos pecados, e está nos dizendo também a verdade sobre Ele ter resolvido completamente o problema dos nossos pecados.

O leproso da passagem de hoje não se escondeu mas veio a Jesus por própria sua vontade e pediu a Ele que o curasse, porque ele desejava intensamente ser curado da sua doença. Este leproso teve fé que Jesus poderia curar qualquer enfermidade, e que nenhum outro a não ser Jesus poderia curá-lo da sua doença e torná-lo limpo. Jesus viu a fé desse leproso e realizou o seu desejo, o mesmo caso que aconteceu com o centurião mais tarde. O que nós temos que guardar na mente aqui é que Jesus na verdade queria curar não a enfermidade física por si só, mas a enfermidade do pecado.

A lepra aqui indica que em nosso corpo e em nossos corações, há pecados exatamente como este. Desde o momento que saímos do ventre de nossas mães, todos nós nascemos com 12 enfermidades do pecado. Quando nós éramos apenas bebês, não percebíamos que haviam tantos pecados malignos, mas uma vez que chegamos a uma certa idade, nós começamos a entender o que realmente somos, e assim não podemos mais esconder isso de Deus. Então, nós nos achegamos a Jesus e dizemos a Ele: “se Tu quiseres, Tu podes me limpar de todos os meus pecados.” É assim que eu e você podemos receber a remissão dos nossos pecados. Quando nós temos essa fé que Jesus pode nos curar de todos os nossos pecados, nós podemos corajosamente pedir a Ele que nos cure.

Jesus curou o leproso na hora, ou levou mais tempo para Ele curá-lo? A Bíblia diz que Ele o curou na mesma hora. Você pode perceber então que Jesus não te curou dos seus pecados em várias etapas, mas ele te curou de uma vez por todas através do evangelho da água e do Espírito.

Uma mulher sofrendo de hemorragia foi curada e o seu sangramento parou na mesma hora quando ela tocou as vestes de Jesus pela fé (Marcos 5:25-34). Naamã, chefe do exército do rei da Síria, também foi curado da sua lepra na mesma hora em que obedeceu a Palavra de Deus pela fé (2 Reis 5:1-14), e a leproso na passagem de hoje, da mesma forma, foi curado na hora em que Jesus o tocou. Se nós temos fé somente na Palavra de Deus, então podemos todos vir a crer no poder da salvação que fez com que todos os pecados da humanidade desaparecessem, e através dessa fé, todos nós podemos receber a remissão eterna dos nossos pecados de uma vez por todas. A enfermidade do pecado de todo mundo não pode ser curada aos poucos, mas é curada de uma vez por todas pela fé na Sua Palavra.

A diferença entre a fé dos religiosos e as pessoas da verdadeira fé é esta: os religiosos, por causa da sua ignorância em relação à verdade, pensam de maneira errada que podem ser remidos dos seus pecados fazendo orações de arrependimento todos os dias, como se eles vivessem em pecado dia após dia, mas por outro lado, os crentes do evangelho da água e do Espírito agora vivem cercados das bênçãos de Deus como seus próprios filhos por terem sido absolvidos de todos os seus pecados de uma vez por todas.

A Bíblia claramente declara que todo mundo só pode ser salvo de todos os seus pecados pela fé na Sua Palavra. Se nós pudéssemos resolver o problema do pecados em nossos corações por nós mesmos, através de outros meios tais como nossa própria força, nosso próprio trabalho, e nossas próprias orações de arrependimento, não haveria necessidade de Jesus ter vindo a essa terra. E se nós pudéssemos ter resolvido o problema dos nossos pecados através dos nossos esforços, nós nunca seríamos capazes de encontrar a Jesus durante a nossa vida inteira.

Ninguém pode resolver o problema dos seus pecados por si mesmo, não importa o que ele faça e o quão duro ele tente, e a chave para a resposta é encontrada somente crendo no evangelho da água e do Espírito. Os seres humanos são seres que não têm como evitar o pecado não importa quão duro eles tentem, e por esse motivo eles devem crer no evangelho da água e do Espírito. Se alguém entender nitidamente que as orações de arrependimento jamais podem fazer com que seus pecados desapareçam, e que então ele não pode resolver o problema dos seus pecados sozinho; se ele ao invés disso chegar diante de Deus e confessar que é um grande pecador; e se ele crer no evangelho da água e do Espírito, então não haverá de maneira alguma pecado que não possa ser apagado. Quando os pecadores chegam diante de Jesus e clamam pela Sua misericórdia, Ele com certeza apaga todos os seus pecados de uma vez por todas através do evangelho da água e do Espírito, assim como ele curou o leproso de uma vez por todas.

É quando o nosso verdadeiro nos revela totalmente diante de Deus como pecadores e desejamos a salvação de Jesus que o Senhor apaga todos os nossos pecados nos dando o evangelho da água e do Espírito. Você precisa entender que somente aqueles que clamam pela misericórdia de Deus, dizendo: “Senhor, tem misericórdia de mim. Eu não posso escapar do inferno por causa dos meus pecados,” podem ser libertos de todos os seus pecados e se tornar mesmo filhos de Deus. Todos os pecadores, quando admitirem principalmente que são pecadores e clamarem a Deus por Sua misericórdia, Deus concederá a eles a remissão eterna dos seus pecados que Ele realizou por meio do evangelho da água e do Espírito.

Romanos 3:10 diz: “não já um justo, nem um sequer.” Nesta passagem, o Apóstolo Paulo se refere àqueles que ainda não receberam a remissão dos seus pecados. Foi para fazer pecadores perfeitamente justos e torná-los filhos de Deus que Jesus veio a essa terra. Mas infelizmente, a maioria dos cristãos ainda se encontram com seus pecados pela metade. Mas embora nesse mundo eles possam ter sido remidos dos seus pecados pela metade ou ser meio justos, no Reino de Deus, não há meio justos, ou meio pecadores. Quem são os meio justos? São aqueles que tentam ser perdoados dos seus pecados fazendo orações de arrependimento todos os dias. Não é por fazer tais orações de arrependimento que todos os seus pecados serão apagados, mas por crer no evangelho da água e do Espírito.

Jesus é Aquele que curou totalmente a humanidade da sua enfermidade do pecado com o evangelho da água e do Espírito. Jesus não fez diferença entre pecado original e pecados pessoais quando Ele falou sobre o pecado, e Ele não aprovou a fé daqueles que creram que, embora Jesus tivesse levado seu pecado original, eles deveriam ainda ser perdoados dos seus pecados pessoais através do arrependimento. Aqueles que crêem assim estão ferindo o coração de Deus e serão destruídos, porque eles permanecerão e viverão o resto de suas vidas como pecadores.

Deus não aceita tal fé pela metade. Se alguém crê em Jesus, então ele deve crer nEle 100%; de outra forma, se ele não crê em Jesus, então ele não crê 100%. Não existe, em outras palavras, essa coisa de 50% de fé. O que é a chamada “Doutrina da Justificação”? É ‘a crença de ser reputado como justo pela fé’ – isso significa dizer que, eles acreditam que os cristãos podem ser chamados para ser justos por causa da sua fé em Jesus mesmo que eles ainda tenham em si seus pecados intactos. Que absurdo é esse! Nosso Senhor não aceita um homem pecador só porque ele crê em Jesus. Quando nós conhecemos o evangelho da água e do Espírito nas Escrituras, sabemos que a Bíblia nos diz que uma vez que Jesus tirou de nós os pecados e os apagou completamente, todos os pecados de todo mundo já desapareceram. O que lavou nossos pecados então foi o bastismo que Jesus recebeu (1 Pedro 3:21).

Falando de uma maneira geral, a maioria dos líderes cristãos hoje em dia dizem que Jesus levou o pecado original, mas nós temos que ser remidos de todos os nossos pecados pessoais de modo separado fazendo nossas orações de arrependimento. A Bíblia, contudo, não faz diferença entre ‘Pecado’ e ‘pecado,’ em outras palavras, pecado original e pecados pessoais. Antes de Jesus, todos os pecados, grandes e pequenos, original ou pessoais, eram igualmente manifestados como ‘os pecados do mundo’ (João 1:29). Assim como a água do esgoto, a água da torneira, e a água que corre por um riacho são todas a mesma água, todos os pecados são os mesmos pecados do mundo. Como está escrito na Bíblia: “são condutores cegos. Se um cego guiar outro cedo, ambos cairão na cova” (Mateus 15:14), porque seus líderes mesmos ainda não nascerão de novo, não sabem como resolver o problema do pecado, e é por isso que eles crêem em tais doutrinas sem sentido dizendo a eles que Deus perdoará seus pecados sempre que eles fizerem suas orações de arrependimento.



Todos Devem Crer no Poder do Evangelho da Água e do Espírito

O que, então, é o verdadeiro arrependimento para a remissão de pecados? É voltar atrás do seu conhecimento falho e das suas crenças erradas e crer no que é certo. Os pecados da humanidade não podem ser perdoados apenas por pedir ao Senhor que todos os dias os perdoe.

O Senhor diz: “pois eu quero misericórdia, e não o sacrifício, e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos” (Oséias 6:6). Nosso Senhor veio a esse mundo devido Sua compaixão por todas as almas que estavam destinadas ao inferno por causa dos seus pecados. A vontade de Deus Pai foi fazer dos pecadores pessoas justas através de Jesus, os santificando, e os capacitando assim a fazer parte do Seu Reino. Foi por isso que nosso Senhor veio a essa terra e cumpriu totalmente a vontade do Pai por meio do evangelho da água e do Espírito.

Romanos 6:23 declara: “pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, em Cristo Jesus nosso Senhor.” Embora nosso Deus seja um Deus de amor, Ele não pode fazer outra coisa senão enviar todos aqueles que têm pecado para o inferno, e Seu amor é conceder a remissão de pecados aos crentes do evangelho da água e do Espírito, para que eles possam morar com Ele para sempre no Seu Reino. Deus nos concedeu, em outras palavras, o dom da remissão de pecados que nos torna justos.

Nos dias de hoje, há muitos cristãos que crêem em Jesus por si mesmos, da maneira que eles querem, totalmente baseados nos seus próprios pensamentos. Dizendo que alguém está na presença do Senhor agora depois de gastar sua vida inteira numa devoção religiosa e piedosa, dando seus dízimos fielmente, ofertando muito dinheiro à sua igreja, indo sempre nos cultos de adoração à noite, e por aí vai. Alguém pode dizer exultantemente ao Senhor: “Senhor, aqui estou eu. Esse pecador com muitas iniquidades agora se coloca diante da Sua presença!” O que o Senhor diria a ele então?

Em Mateus 7, Jesus disse: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi abertamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade!” Isto é o que nosso Senhor dirá a ele. Nosso Senhor não é o Pai nem o Senhor dos pecadores, mas Ele é o Pai dos justos e o Senhor daqueles que nasceram de novo e receberam a remissão dos seus pecados. E mesmo que esse homem diga ao Senhor: “Senhor, Tu não me conheces? Por Ti, eu dediquei minha vida inteira dando Testemunho do Teu nome,” Deus apenas dirá a ele: “como tu ousas fingir ser meu filho ainda tendo pecado? Tudo que está a tua espera é o inferno, tu que praticas a iniquidade!”

Por isso, tudo que os pecadores têm a fazer primeiro é crer no evangelho da água e do Espírito imediatamente e receber a remissão dos seus pecados pela fé. Essa é a mais bela e preciosa fé. Os falsos líderes cristãos podem reunir em suas igrejas todo tipo de pecadores que ainda não receberam a remissão dos seus pecados. Mas eles podem realmente ser chamados de santos? Como é que pode existir um santo pecador? Todo aquele que tem pecado não é um santo, mas simplesmente um pecador. Alguém pode ser chamado de um santo sem pecado depois que recebeu a remissão de pecados por crer no evangelho da água e do Espírito.

Está escrito em Oséias 4:6: “O meu povo é destruído porque lhe falta conhecimento. Porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei como meu sacerdócio; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei dos teus filhos.”

O princípio de todo conhecimento é conhecer a Deus, e muitas pessoas ainda não são capazes de rejeitar seu conhecimento enganoso e falho e estão vivendo como hipócritas. É por isso que nosso Senhor dirá a eles quando o último dia chegar: “Eu não os conheço.”

A única maneira de um pecador se tornar justo é crendo na Palavra da remissão de pecados. Junto com a nossa fé na deidade do Senhor, devemos ter fé no evangelho da água e do Espírito. Mas ao contrário muitas pessoas ainda ignoram o poder do evangelho do batismo de Jesus e a Sua Cruz, despediçando suas vidas numa busca fútil por um aumento iludido da sua santificação baseados na crença errônea de que eles podem aos poucos ser limpos dos seus pecados.

O Cristianismo não é uma religião onde alguém alcança a salvação através dos seus próprios esforços e disciplina, como os budistas que enfatizam que alguém deve tentar ser uma pessoa virtuosa e misericórdiosa. Porém, é impossível para um ser humano se tornar justo por mais que ele tente ser virtuoso. O verdadeiro cristão de fé é aquele que crê na salvação da graça, do evangelho da água e do Espírito, que vem de cima sem nenhum esforço humano – isto é, a fé que crê no amor de Deus que nos livrou da perdição. Assim como o leproso foi imediatamente curado da sua doença pelo amor do nosso Senhor e pelo poder da Sua verdade, nós, também, podemos ser salvos de todos os pecados que há em nossos corações assim que crermos no evangelho da água e do Espírito e reconhecermos o amor do nosso Senhor por nós.



No Antigo Testamento, Deus mostrou Sua Salvação Através de Moisés


Foi isso o que o Senhor disse ao leproso depois de curá-lo: “Olha, não o digas a ninguém, mas vai, mostra-te ao sacerdote e oferece a oferta que Moisés ordenou, para lhes servir de Testemunho.” A oferta que Moisés ordenou aqui se refere ao cordeiro, isto é, o animal do sacrifício.

“Chamou o Senhor a Moisés e, da tenda da congregação, lhe disse: fala aos filhos de Israel e dize-lhes: quando algum de vós apresentar oferta ao Senhor, trareis as vossas ofertas de gado ou de ovelhas. Se a sua oferta for holocausto de gado, oferecerá ele um macho sem defeito. À entrada da tenda da congregação o oferecerá, para que ache favor perante o Senhor. Porá a mão sobre a cabeça do holocausto, para que este seja aceito a favor dele, para a sua expiação.” (Levítico 1:1-4).

Com relação à oferta que Moisés ordenou, o versículo 2 acima diz: “trareis as vossas ofertas de gado ou de ovelhas.” Ao dar a Lei, Deus tornou possível aos seres humanos reconhecer que eles eram pecadores, e assim através do sistema sacrificial do Tabernáculo, Ele deu a Israel o estatuto pelo qual eles seriam remidos de todos os seus pecados os passando a essas ofertas do sacrifício. Deus nos amou tanto e quis nos salvar dos nossos pecados que estabeleceu o sistema sacrificial com ofertas de cordeiros e gado que deveriam morrer em nosso lugar.

Neste sistema sacrificial, ‘a imposição de mãos’ era essencial. Ela significava “passar adiante” ou “transferir.” Quando um homem possuído por um demônio colocava suas mãos sobre alguém, ele mais tarde também se tornava um homem possuído por demômios, porque a imposição de mãos significa “passar adiante.” Por esse motivo, quando um pecador na época do Antigo Testamento colocava suas mãos sobre a cabeça do cordeiro do sacrifício, todos os pecados do seu coração eram passados para o animal (Levítico 16:21). Depois disso, ele tinha que imolar o cordeiro para derramar seu sangue, então o sacerdote molhava seu dedo com um pouco do seu sangue, colocava nas pontas do altar de ofertas queimadas, e espargia todo o sangue que restasse sobre a base do altar. E o sacerdote tinha que queimar o animal sobre o altar como aroma suave ao Senhor. Era assim que os Israelitas recebiam a remissão dos seus pecados nos tempos do Antigo Testamento (levítico 4:27-31).

O sangue colocado sobre as pontas e a base do altar era a vida oferecida como salário pelo pecado. A Bíblia afirma que a vida da carne está no sangue, e que é o sangue que faz expiação pela vida (Levítico 17:11). As pontas do altar de sacríficio queimado diz respeito ao Livro do Juízo (Apocalipse 20:12). Toda transgressão deve ser escrita nesse Livro. E os pecadores serão julgados segundo suas obras, pelo que estiver escrito nos livros. É por isso que nós temos que receber a perfeita remissão dos nossos pecados enquanto estamos vivendo nesse mundo.

Nesses tempos do Novo Testamento, então, qual é o tipo de fé pela qual recebemos a remissão dos nossos pecados? Onde podemos encontrar a prova de que fomos salvos dos nossos pecados? A prova da salvação de todos os nossos pecados pode ser encontrada somente na nossa fé no evangelho da água e do Espírito; não é através de visões, do êxtase, ou de outras línguas que podemos ter a certeza da nossa salvação. Somente pela Palavra de Deus nós podemos perceber como somos pecadores, e ter a certeza de que fomos salvos de todos os nossos pecados. Esta Palavra do Testemunho está no evangelho da água e do Espírito.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Deus Pai deu Seu único Filho para nos salvar de todos os nossos pecados no mundo. Como foi que Ele nos salvou dos pecados? Jesus cumpriu toda a justiça de Deus ao vir a essa terra, se tornando nossa própria oferta de sacrifício como os cordeiros e os bodes sacrificiais do Antigo Testamento, aceitando as iniquidades dos pecadores no Seu próprio corpo através do Seu batismo, apagando assim os pecados do mundo. Essa verdade foi mostrada através do sacrifício diário do Antigo Testamento. Devemos entender bem como Jesus Cristo aceitou todos os pecados da humanidade que nós cometemos todos os dias quando Ele veio a esse mundo. Somente então poderemos ser libertos de todos os nossos pecados no mundo.



A Oferta pela Expiação no Antigo Testamento

Vamos nos voltar agora para Levítico 16:29-34. “Isto vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez do mês, afligireis as vossas almas, e nenhuma obra fareis – nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós – porque nesse dia far-se-á expiação por vós, para serdes purificados. Diante do Senhor sereis purificados de todos os vossos pecados. Será sábado de descanso para vós, e afligireis as vossas almas; é estatuto perpétuo. O sacerdote que for ungido e ordenado para administrar o sacerdócio no lugar de seu pai, fará a expiação. Porá as vestes sagradas de linho, e fará expiação pelo santíssimo lugar, pela tenda da congregação e pelo altar, e pelos sacerdotes e por todo o povo da congregação. Isto vos será por estatuto perpétuo, para fazer expiação pelos filhos de Israel de todos os seus pecados, uma vez por ano. E fez Arão como o Senhor ordenará a Moisés.”

Essa passagem descreve a oferta do Dia da Expiação que Deus concedeu aos Israelitas em favor daqueles que não podiam oferecer sacrifícios todos os dias, onde sumo sacerdote podia oferecer ofertas de sacrifício uma vez por ano por todo o povo de Israel. Através desse sacrifício anual, Deus deu ao povo de Israel a bênção da remissão dos seus pecados anuais.

Levítico 16:6-10 declara: “Arão trará o novilho da sua oferta pelo pecado, e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará ambos os bodes, e os porá perante o Senhor, à entrada da tenda da congregação. Arão lançará sortes sobre os dois bodes: uma pelo Senhor e a outra pelo bode emissário. Arão fará chegar o bode sobre o qual cair a sorte pelo Senhor, e o oferecerá como oferta pelo pecado. Mas o bode escolhido por sorte como o bode emissário será apresentado vivo diante do Senhor, para fazer com ele expiação a fim de ser enviado ao deserto como bode emissário.”

Deus, em outras palavras, instituiu o sistema sacrificial que permite aos Israelitas receber a remissão dos seus pecados através da fé passando não somente seus pecados diários, mas os pecados cometidos durante todo o ano para a oferta do sacrifício de uma vez por todas. Arão aqui era o irmão de Moisés, e ele era também o sumo sacerdote. Arão trazia um dos dois bodes à tenda do tabernáculo e passava todas as iniquidades do povo de Israel a ele impondo suas mãos sobre sua cabeça. Tendo passado dessa maneira os pecados dos Israelitas ao bode sacrificial de uma vez por todas, o sumo sacerdote então imolava esse bode, tirava o sangue de suas veias – isto é, dentro do Santíssimo Lugar – e o espargia sobre o propiciatório sete vezes para a banda do oriente. Até mesmo o sumo sacerdote não podia ir além do véu a menos que fosse feita expiação por ele com o animal sacrificial e ele trouxesse o seu sangue com ele.

O tabernáculo era divido pelo Lugar Santo e o Santíssimo Lugar, e o sumo sacerdote podia entrar no lugar onde a arca do Testemunho foi colocada apenas quando ele levava o sangue do sacrifício que ele havia recebido pela imposição das suas mãos. Era por ver esse sangue do sacrifício que Deus permitia que Arão entrasse no Santíssimo Lugar. Então Arão imolava o bode que havia recebido os pecados de todo o povo de Israel pela imposição de mãos, levava seu sangue para dentro do Santíssimo Lugar, e o espargia sobre a Arca da Aliança sete vezes. Como campainhas de ouro eram costuradas nas abas do manto do sumo sacerdote, elas tocavam quando ele espargia o sangue, e ouvindo o som das campainhas tocando, o povo de Israel podia ter a certeza de que o sangue do animal do sacrifício que levou seus pecados realmente foi espargido, reassegurando dessa forma a remissão dos pecados do coração dos crentes.

“Terminada a purificação do Santíssimo Lugar, da tenda da congregação e do altar, Arão trará o bode vivo. Porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniquidades do povo de Israel, e todas as suas rebeldias, segundo todos os seus pecados, fazendo-os assim cair sobre a cabeça do bode. E o enviará ao deserto pela mão de um homem designado para isso. O bode levará sobre si todas as iniquidades deles para a terra solitária, e o homem soltará o bode no deserto” (Levítico 16:20-22).

O bode que era “para Jeová” era oferecido como oferta pelo pecado, pelo qual a expiação era feita. Mas os pecados dos Israelitas deveriam ser banidos deles também de forma visível, e por isso o sumo sacerdote também tinha que impor suas mãos sobre a cabeça do outro bode confessando seus pecados anuais, deixando então que ele fosse “enviado para Azazel” no deserto (veja Levítico 16:8-10 na versão Almeida Corrigida e Fiel). Aqui, o bode emissário, ‘azazel’ em hebraico, quer dizer ‘ser mandado embora’ para total separação do pecado.

Pegando um dos bodes como bode emissário, o sumo sacerdote impunha suas mãos sobre a sua cabeça e passava todos os pecados a ele, confessando sobre ele todas as iniquidades do povo de Israel enquanto todos eles ficavam olhando do lado de fora da entrada da tenda do Tabernáculo. Então pela mão de um homem designado ele era solto no deserto para morrer. Este bode sacrificial, em outras palavras, era para levar sobre si todos os pecados dos Israelitas que haviam sido passados a ele pela imposição de mãos do sumo sacerdote, e para certamente morrer no deserto. Ao soltar o bode emissário para ir ao deserto, Deus libertava todo o povo de Israel dos seus pecados. Este é o próprio sacrifício que Deus ordenou que Moisés oferecesse. Foi através da imposição de mãos e do sangue derramado que Deus capacitou todo o povo de Israel a receber a remissão dos seus pecados.

O sistema sacrificial do Antigo Testamento era aquele que ensinava a verdade que Deus enviaria a Jesus, e que como Seu cordeiro, Jesus receberia e levaria sobre Si todos os pecados de cada pecador que vive nesse mundo através do Seu batismo, e que Ele lavaria desta forma todos os pecados da humanidade, os da sua vida diária e os de toda sua vida. Todas as pessoas do Antigo Testamento creram que foi através do sistema sacrificial do Tabernáculo que a remissão dos seus pecados foi trazida até eles. Agora, as pessoas do Novo Testamento também possuem inúmeros pecados, e mesmo sendo cometidos intencionalmente ou não, eles precisam descobrir como eles podem resolver os problemas por causa desses pecados, e como eles podem ser remidos de todos eles.



A Oferta da Grande Expiação no Novo Testamento

O Antigo e o Novo Testamento da Bíblia combinam entre si (Isaías 34:16). Que parte do Novo Testamento então combina com a oferta do Dia da Expiação do Antigo Testamento? Vamos examinar o que Jesus realmente fez primeiro para apagar todos os nossos pecados.

“Então veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: eu preciso ser batizado por ti, e vens tu a mim? Mas Jesus lhe respondeu: deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Então João consentiu. Assim que Jesus foi batizado, saiu logo da água. Nesse instante abriram-se-lhe os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele. E uma voz dos céus disse: este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:13-17).

Deus enviou Seu Filho Jesus como Aquele que “salvaria seu povo dos seus pecados” (Mateus 1:21). Aquele que criou o universo, em outras palavras, pessoalmente veio a esse mundo através da virgem Maria encarnado como um homem como o cordeiro do sacrifício. O ministério de Jesus começou com Seu batismo. “Então” a passagem acima, se refere ao ano que Jesus completou 30 anos. Esta foi a idade em que Jesus foi batizado por João Batista.

Quem era João Batista? “Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; contudo, o menor no reino dos céus é maior do que ele. Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele. Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João” (Mateus 11:11-13).

Como a passagem acima nos diz, Jesus disse que “dentre os nascidos de mulher, não havia alguém maior do que João Batista.” O maior de todos os profetas nessa terra, maior do que Isaías, Ezequiel, e Elias, e até mesmo maior do que Moisés, não foi outro senão João Batista, o representante de toda a humanidade.

No Antigo Testamento, o sumo sacerdócio era sucedido pelo descendente de Arão quando ele completava 30 anos de idade. Assim como o sumo sacerdote, descendente de Arão, passou todos os pecados dos Israelitas ao bode sacrificial pela imposição de mãos sobre sua cabeça, Deus também levantou um representante da humanidade chamado João Batista para passar seus pecados para Jesus, para que Deus pudesse apagar os pecados de cada ser humano que vive nessa terra. Deus enviou João Batista a essa terra, em outras palavras, como o último profeta. O último sumo sacerdote não foi outro senão João Batista, um descendente de Arão.

“Existiu no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias; sua mulher era das filhas de Arão, e o seu nome era Isabel. Eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor... Irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os rebeldes à prudência dos justos, e preparar ao Senhor um povo bem disposto” (Lucas 1:5-17).

Na passagem acima, assim como Deus passou os pecados do povo de Israel somente através dos descendentes de Arão, Ele escolheu um descendente de Arão, como Ele havia prometido, para passar os pecados de todos nesse mundo. É por isso que Ele enviou João a esse mundo seis meses antes de Jesus para fazer muitos voltarem à prudência dos justos, e preparar ao Senhor um povo bem disposto (Lucas 1:17). Em outras palavras, João Batista foi o maior dentre todos os nascidos de mulher.

Desta maneira, Deus levantou João Batista como o representante da humanidade, e foi por meio dele que Ele passou a Jesus os pecados da humanidade. João Batista também veio antes de Jesus como uma testemunha; na Palavra, nós também precisamos descobrir como João deu Testemunho. Para o povo de Israel, foi porque Arão passou seus pecados que eles puderam ter a prova de que todos os seus pecados foram realmente passados adiante. Da mesma forma, o fato de João Batista ter passado todos os pecados da humanidade a Jesus Cristo é a verdadeira prova que mostra como nossos pecados foram apagados.

Como foi mencionado antes, e como foi mostrado em Mateus 3:13-17, Jesus foi batizado por João Batista. Este batismo é muito importante para todo cristão. Os cristãos têm sido geralmente batizados com água. Contudo, eles sempre recebem seu batismo sem nem mesmo entender seu significado. Então o batismo é ministrado a todo aquele que prometer guardar os Dez Mandamentos, e ir assiduamente os cultos na igreja no domingo, e reconhecer o Senhor como seu Salvador. Nesse mundo, até mesmo dentre os cristãos, é extremamente raro encontrar alguém que realmente conheça o significado do batismo quando é batizado.

Jesus veio a essa terra e foi batizado por João batista; o que temos que entender aqui é que Jesus teve que ser batizado. Todo cristão que afirma crer em Jesus deve perguntar: “por que Jesus teve que ser batizado, já que Ele não tinha pecado?” Aqueles que ainda não receberam a remissão dos seus pecados não sabem nada sobre esse assunto, não importa quão fervorosamente eles creiam em Jesus. Somente aqueles que receberam a remissão dos seus pecados podem dar a resposta correta a essa pergunta.

Jesus é o Sumo Sacerdote celestial enquanto que João Batista é o representante da humanidade, o sumo sacerdote terreno. João Batista tinha a autoridade para passar todos os pecados da humanidade ao Cordeiro Jesus, e a Jesus, como Sumo Sacerdote do Reino de Deus, foi dado o papel de apagar todos os pecados da humanidade sacrificando Seu próprio corpo, e não o sangue de um animal, como oferta – isto é, aceitando todos os pecados da humanidade e rendendo Seu próprio corpo a Deus como sacrifíco por eles. O Sumo Sacerdote do Reino dos Céus é Jesus (Hebreus 5:10, 6:20, 10:9-14).

Jesus disse em Mateus 3:15: “deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça.” Ele foi batizado no rio Jordão, o rio da morte. Batizar, ‘baptizo’ no grego, significa imergir, afundar na água, limpar mergulhando ou submergindo, lavar, ou limpar tirando a sujeira. Portanto, o batismo tem o mesmo significado que a ‘imposição de mãos’ do Antigo Testamento. Assim como os pecados foram passados com a imposição de mãos, todos os pecados da humanidade foram passados a Jesus quando João Batista O batizou. Porque todos os pecados da humanidade foram passados a Jesus foi que Ele recebeu a condenação em nosso lugar e foi queimado como nossa própria oferta de sacrifício. Portanto, o próprio evento pelo qual Jesus aceitou de João Batista todos os pecados da humanidade não foi outro além do que o Seu batismo.

Foi para cumprir a justiça de Deus a cada um de nós, e para apagar completamente todos os pecados de cada ser humano, que Jesus veio a esse mundo e foi batizado. Você acha que Jesus foi batizado só porque Ele era humilde? Essa não é realmente a questão! Jesus disse enfaticamente: “deixa por agora.” Quando Jesus disse isto a João Batista, ele quis dizer: “você deve passar os pecados da humanidade a mim e Eu os levarei; o que Eu devo fazer é remir todos os pecados da humanidade me tornando seu próprio bode emissário diante dos seus olhos,” foi para levar sobre Si os pecados da humanidade que Jesus veio a esse mundo.

As pessoas são condenadas ao inferno por causa dos seus pecados. Elas estão agozinando em suas preocupações por causa dos seus pecados, e têm sido enganadas por Satanás por causa dos seus pecados. Jesus é Aquele que veio a essa terra para salvar tais pessoas assim como nós dos nossos pecados, para nos tornar justos, e para fazer de nós os próprios filhos de Deus. Quando Jesus foi batizado por João Batista e saiu da água, o Espírito Santo desceu do céu como uma pomba e testificou que Ele era o Filho de Deus. O Espírito Santo é Aquele que dá Testemunho da verdade. O próprio Deus Pai testificou que Seu Filho Jesus aceitou todos os pecados da humanidade de uma vez por todas ao ser batizado.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” Deus enviou Jesus a essa terra, passou todos os pecados da humanidade ao Seu Filho, e sacrificou Seu Filho para nos dar a vida eterna e nos fazer santos – nenhum outro além deste é o real significado do batismo. Através do Seu batismo, Jesus aceitou de João Batista nossos pecados, o representante e último sumo sacerdote da humanidade, sendo submerso na água (representando Sua morte), e então saindo da água (significando Sua ressurreição). Através desse batismo, na forma de imposição de mãos, João Batista passou nossos pecados a Jesus. Os pecados do mundo, em outras palavras, foram de fato removidos da humanidade pelo próprio Deus.

Foi porque os pecados do mundo foram realmente passados a Jesus que Deus disse que nós agora estamos sem pecado. Se Jesus não tivesse levado todos os nossos pecados quando Ele veio a essa terra, então independentemente do quanto crêssemos nEle, nós não teríamos outra escolha senão continuarmos como pecadores. Tendo apagado nossos pecados através do Seu batismo e do sangue derramado, Deus nos exorta: “crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa” (Atos 16:31). Crendo no batismo e no sangue de Jesus, seremos lavados de todos os nossos pecados de uma vez por todas.

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29). João Batista continuou a pregar ao povo que os pecados da humanidade foram todos passados a Jesus através do seu batismo. Aquele que disse: “Ele é o próprio Filho de Deus, o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo,” não era nenhum outro senão este mesmo João Batista.

Jesus levou os pecados do mundo ao ser batizado e tê-los carregado até a cruz. Cerca de 1970 anos já se passaram desde que Jesus levou os pecados do mundo. Jesus que levou os pecados da humanidade teve que entregar a Sua vida na Cruz. Jesus levou todos os pecados do mundo. Através do Seu batismo, Jesus levou os pecados do nosso pai e da nossa mãe também, porque eles, da mesma forma, são pessoas desse mundo. Todos os pecados que nós cometemos desde o nosso nascimento até a nossa morte, cometidos involuntariamente ou não, fazem parte dos pecados do mundo. Esses pecados também foram passados a Jesus através da imposição de mãos de João Batista. Os pecados que nós cometemos na nossa juventude também são os pecados desse mundo, e por isso eles, também, foram passados a Jesus. Jesus, em outras palavras, não levou apenas os pecados de um grupo especial, mas através do Seu batismo e do Seu sangue derramado, Ele levou todos os pecados desse mundo que todos cometeram por toda sua vida até a morte, e os aniquilou.

Entretanto, somente aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito, pelo qual Jesus recebeu nossos pecados por intermédio de João Batista e remiu a todos eles, podem receber a remissão dos seus pecados pela fé. Eles são os únicos que podem ser salvos de todos os seus pecados pela fé. Porém, infelizmente, muitos pessoas ainda continuam aprisionadas aos seus pecados porque não crêem no evangelho da água e do Espírito. A porta de Deus já foi aberta a muito tempo, mas as pessoas ainda estão destinadas a perecer porque a porta dos seus corações não se abriram ainda, e porque elas não crêem no evangelho da água e do Espírito.

Os pecados que nós cometemos desde o nascimento até os 20 anos, e quando tínhamos de 21 a 30 anos de idade também são os “pecados do mundo”, e por isso todos esses pecados também foram passados a Jesus, e os pecados que cometemos quando tínhamos de 31 a 40 anos de idade também são “os pecados do mundo,” e por isso, eles, da mesma maneira, foram todos passados a Jesus. Ele é o Filho de Deus que levou cada um dos nossos pecados. Os pecados que as pessoas cometem dos 41 aos 100 anos de idade também não são os pecados do mundo? Jesus também levou todos esses pecados através do Seu batismo, porque eles também fazem parte dos pecados que nós cometemos nesse mundo. Porque o amor de Jesus é eterno e infinito, Ele não dividiu nossos pecados em pecados originais e pessoais, mas aceitou todos os pecados através do Seu batismo e derramou Seu sangue na Cruz até a morte.

Se Jesus não tivesse vindo a essa terra, se Ele não tivesse sido batizado, e se Ele não tivesse derramado Seu sangue, então nossa fé na remissão de pecados teria sido totalmente em vão, a morte de Jesus também teria sido em vão, e se nós crêssemos no Senhor e sofrêssemos por Ele isso teria sido completamente fútil.

Os pecados dos seus filhos foram passados a Jesus? Vamos conferir isso. Seus filhos não estão vivendo nesse mundo? Se eles estão vivendo nesse mundo, está muito claro que seus pecados também foram passados a Jesus. A prova disso é o batismo que Jesus recebeu de João, e a condenação pelos pecados está no próprio sangue de Jesus derramado na Cruz (João 19:30-34). Os pecados dos nossos netos, e os pecados dos nossos descendentes que ainda não nasceram, foram todos passados a Jesus através do Seu batismo, e este mesmo Jesus levou sobre Si todos os nossos pecados e os remiu de uma vez por todas na Cruz. Embora cometamos pecados diariamente por causa das nossas fraquezas, esses pecados que cometemos também são os pecados do mundo, e por isso Jesus os levou através do Seu batismo e do Seu sangue.

João 8:31-32 declara: “se permanecerdes no meu ensino, verdadeiramente sereis meus discípulos. Então conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” A verdade aqui não é outra senão o próprio ato de justiça de Jesus que cumpriu Sua Palavra. É muito perturbador que a maioria dos cristãos ainda acreditem nessas falsas doutrinas ou nesses ensinamentos denominacionais onde eles devem guardar o sábado e fazer orações de arrependimento todos os dias para serem perdoados dos seus pecados. Eles crêem que Jesus levou seu pecado original, mas não levou seus pecados pessoais. É por isso que eles não têm outra escolha senão continuar ainda mais pecadores à medida que o tempo vai passando. Seus esforços podem parecer admiravéis, mas no que se refere a sua salvação, não é exatamente aí que devia estar sua devoção.

O que devemos fazer é crer no evangelho da água e do Espírito, e deste modo receber a remissão pelos nossos pecados. Esta é a vontade de Deus para nós. Quanto mais tentamos guardar a Lei, mais difícil fica para nós conseguir fazer isso, e nós acabamos descobrindo por nós mesmos que de fato nos tornamos ainda mais pecadores diante de Deus. Mas ao crermos no evangelho da água e do Espírito que o Senhor nos concedeu, todos nós podemos realmente ser salvos de todos os nossos pecados do mundo. Aleluia!

 

Voltar para a Lista

 


Versão para impressão   |  

 
Bible studies
    Sermões
    A declaração de fé
    O que é o evangelho?
    Termos Bíblicos
    FAQ para a Fé Cristã

   
Copyright © 2001 - 2017 The New Life Mission. ALL RIGHTS reserved.