Livros cristãos gratuitos para estudos bíblicos sobre salvação, o Espírito Santo, o Tabernáculo e o Apocalipse de João

HOME  |  MAPA DO SITE  |  CONTATO  |  AJUDA    
Estudos da Bíblia Livros Cristãos
Grátis
e-livros Cristãos
Grátis
Sobre Nós
 



 Os sermões em assuntos importantes por Rev. Paul C. Jong

 

Sermão sobre o Santo Filho 9



Qual é a Oferta Moisés Deixou Como Ordenança?


< Mateus 8:1-4 >

“E descendo ele do monte, seguiu-o uma grande multidão. E, eis que veio um leproso, e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes me tornar limpo. E Jesus, estendendo a mão, tocou-o dizendo: quero: sê limpo. E logo ficou purificado da lepra. Disse então Jesus: olha não o digas a alguém, mas vai, mostra-te ao sacerdote, e apresenta a oferta que Moisés determinou, para lhes servir de Testemunho.”



O Pecado é Comparado à Lepra

Jesus nos diz aqui que aqueles que receberam a remissão de pecados deveriam dar a oferta que Moisés determinou como Testemunho deles. Dizem que a infecção que causa a lepra leva seis anos para que as pessoas percebam seus sintomas de fato. A doença permanece adormecida por seis anos, mas no sétimo ano ela aparece abertamente. Essa é a característica patológica da lepra.

A passagem principal acima nos fala de Jesus curando um leproso de sua doença. Essa é uma história verdadeira que realmente aconteceu, e através dessa história, Deus também revela a natureza de nossos pecados, assim como nos diz que Ele resolveu o problema que envolve esses pecados de uma vez por todas.

O leproso da passagem acima desejava muito ser curado de sua doença, e foi por isso que ele veio até Jesus Cristo daquela maneira, sem se esconder mas revelando sua doença. Esse leproso acreditou que não havia nada que não pudesse ser conseguido pela Palavra de Jesus, e ele também acreditava que era mais do que possível ser curado de sua doença pela Palavra de Jesus. Vendo a fé desse leproso pelos mesmos olhos daquele centurião nesse mesmo capítulo, Jesus o curou. A lição principal desse acontecimento não é sobre a verdadeira cura do leproso em si, mas é sobre como podemos ser curados da doença causada pelos nossos pecados.

O leproso aqui aponta para o fato de que temos em nossos corações a doença do pecado, como a lepra. Desde o momento que nascemos do ventre de nossas mães, nós todos nascemos com a doença do pecado. Quando nós nascemos, não tínhamos como perceber o quanto éramos pecadores tão maus, mas uma vez que alcançamos certa idade, podemos perceber que somos realmente maus, que os outros também são maus, e que todos os seres humanos são maus.

Mas Deus nos diz, através da passagem acima, que se esses seres humanos completamente maus vierem até Jesus e sem nada esconder revelarem a Ele o que eles realmente são, e se eles tiverem a fé que diz: “Se Tu quiseres, eu creio que Tu podes limpar até mesmo um ser pecador como eu,” Jesus irá então com alegria curá-los de seus pecados.

O Senhor curou o leproso uma vez ou duas? A passagem nos mostra que Jesus curou o leproso somente uma vez. Nossos pecados não são curados em várias etapas, mas todos de uma só vez. Se tivermos fé na Palavra de Deus, e então virmos a conhecer e crer no Deus que apagou todos os pecados da humanidade de uma vez por todas, nós poderemos receber a remissão de todos os nossos pecados na mesma hora. Nossos pecados nunca são curados em várias etapas.

Uma mulher que sofria de hemorragia foi curada de uma vez por todas quando tocou as vestes de Jesus (Marcos 5:29). Ela foi liberta não somente do sangramento, mas daquilo que o causava. Naamã, comandante do exército do rei da Síria, também foi curado da lepra de uma vez por todas (2 Reis 5:14), e o leproso da passagem acima foi imediatamente limpo da sua lepra também.



Qual a Diferença Entre os Religiosos e as Pessoas de Fé?

Por causa do tolo resultado da sua ignorância sobre a verdade, os religiosos acreditam que receberão a remissão dos seus pecados através do arrependimento diário, como se eles vivessem todos os dias em pecado. Mas para as pessoas de fé que seguem a Palavra, todos os problemas relativos aos seus pecados já foram resolvidos de uma vez por todas, e elas vivem em meio a graça de Deus.

Igreja significa a reunião daqueles que seguem a Jesus Cristo. Devemos entender que os saduceus e fariseus, mesmo que professassem crer em Deus, não são aqueles que foram curados por Jesus, mas aqueles que foram curados por Jesus de uma vez por todas são somente aqueles que, como a mulher do fluxo de sangue e o leproso, em si mesmos não poderiam fazer nada em relação à sua doença.

Se fosse possível para nós resolvermos o problema do pecado dos nossos corações através de nossas próprias obras, orações de arrependimento, e boas obras, não haveria então necessidade de Jesus ter vindo a essa terra. E se acreditarmos que podemos resolver o problema do pecado dessa maneira, nós nunca poderemos encontrar Jesus para o resto de nossas vidas. Mas o problema de nossos pecados não pode ser resolvido não importa o que façamos ou o quanto tentemos, porque somos seres que por mais que nos esforçemos não conseguimos evitá-los.

Pelo fato de nossos pecados não desaparecem independentemente de quanto nos arrependemos, devemos entender com clareza que o problema do pecado não pode apenas ser resolvido pelos nossos próprios esforços e por confessarmos diante de Deus que somos pecadores. Devemos entender a verdade que quando assim confessamos: “somos pecadores diante de Deus” – não por humildade nem por convicção doutrinária, mas com sinceridade do coração – e quando chegamos diante da presença de Deus e clamamos por Seu perdão, Ele resolverá todos os nossos problemas do pecado de uma vez por todas, assim como ele curou o leproso.

Somente aqueles que se revelam completamente diante de Deus como pecadores, clamam por Seu perdão, e a Ele confessam: “Eu não posso evitar de ser lançado no inferno, porque eu sou pecador. Senhor, por favor tenha misericórdia de mim.” Somente tais pessoas podem receber a graça de Deus.

Romanos 3:10 declara: “Como está escrito: não há um justo, nem um sequer.” Este versículo é o que o Apóstolo Paulo fala àqueles que ainda não receberam a remissão do pecado. Jesus não veio a esse mundo para tornar justos os pecadores? Não existe algo como remissão de pecado pela metade, nem existe um meio justo. Entretanto, infelizmente, exitem algumas pessoas muito estranhas no Cristianismo hoje em dia. Eles acreditam que os pecados são perdoados quando eles fazem orações de arrependimento. Nosso pecado não é algo que pode ser apagado por nossas orações de arrependimento.

Jesus é Aquele que de forma perfeita completa a cura do pecado. Jesus não fala de nossos pecados dividindo-os em pecado original e pecados pessoais, e nem diz que enquanto Ele tira nosso pecado original, nossos pecados diários devem perdoados através de orações de arrependimento. A fé daqueles que crêem assim é uma fé pela metade, e tais pessoas viverão o resto de suas vidas como pecadores, morrerão como pecadores, e serão lançados no inferno como pecadores.

Deus não aceita uma fé pela metade. Se você crê, então você deve crer 100 por cento, e se você não crê nem na menor porção da verdade, então você não crê 100 por cento nela – não existe algo como crer 50 por cento. Jesus não nos torna justos apenas por cobrir levemente nossos pecados como se ainda continuássemos pecadores por causa de nossa descrença. Quando nós conhecemos a Bíblia de forma correta, descobrimos que Jesus nos torna justos porque Ele removeu nossos pecados antes de tudo e os apagou completamente.

Em meio aos líderes religiosos do Cristianismo hoje em dia, há aqueles que afirmam que Jesus levou nosso pecado original mas não nossos pecados pessoais. A Bíblia não fala de pecado original ou pecados pessoais, e nenhuma referência a essas coisas é encontrada nela. Antes de Jesus, todos os pecados, grandes e pequenos, daqueles que nós com eles nascemos àqueles que pertencem a nós mesmos, àqueles a quem iremos comprometer nossos próprios atos – na verdade, todo pecado possível – são os mesmos, todos manifestados como os pecados do mundo. Água é água, mesmo que seja esgoto ou água da torneira.

Ninguém sabe ao certo quando as pessoas começaram a fazer distinção entre o pecado original e seus pecados pessoais. Pelo fato de muitos líderes cristãos não terem nascido de novo, eles transformaram o Crsitianismo numa mera religião, afirmando que Deus perdoaria nossos pecados se nos ‘arrependêssemos’ deles. A palavra ‘arrepender’ é muito diferente da palavra ‘confessar’ (1 João 1:9).

O que é arrependimento? Significa somente voltar atrás; não significa orar para que Deus perdoe nossos pecados. Deus disse que Seu desejo é que levemos a Ele ofertas que clamem pela Sua misericórdia e graça. Tendo compaixão pelas almas que estão indo para o inferno por causa do pecado, Deus quer nos salvar – é disso que Seu coração está cheio. O que Seu coração deseja é tornar os pecadores em santos através de Jesus Cristo e assim capacitá-los a fazer parte do Seu Reino, e Ele cumpriu isso completamente.

Romanos 6:23 declara: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” Os pecadores não têm outro fim senão serem lançados no inferno, mas o dom de Deus é viver para sempre com o Senhor. O dom de Deus para nós é nos fazer sem pecado.

Existem tantas pessoas nesses dias que, por crerem na remissão de pecados numa forma de pensar tão humanística e à feitura do homem, estão indo direto para o inferno. Eles dizem que podem entrar no Céu por seus próprios atos de devoção, como entregando fielmente os dízimos, dando muitas ofertas, fazendo orações de arrependimento, e assistindo aos cultos todos os domingos. Mas tudo isso é falho.

Vamos supor que alguém acabou de morrer e foi levado à presença de Deus. Diante da Sua presença, essa pessoa pergunta: “este pecador com muitas iniquidades vem diante de Ti, Senhor.” O que nosso Senhor diria? Ele diria o mesmo que Ele disse em Mateus 7:21-23: “Nem todo que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: nunca vos conheci: apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.”

Deus não é o Pai dos pecadores, nem o Senhor dos que cometem pecado, mas o Pai dos justos e Senhor dos nascidos de novo que receberam a remissão de pecados. E mesmo que a pessoa acima dissesse: “Senhor, como podes Tu não me conheceres? Por Ti, eu fiz o máximo para testemunhar o Teu nome, e eu dediquei minha vida inteira a Ti,” Deus simplesmente responderá: “Como tu finges ser meu filho sendo pecador? Sejas lançado no inferno, tu que praticas a iniquidade!”

A primeira prioridade para os pecadores é receber a remissão dos seus pecados crendo na Palavra de Deus imediatamente. Isto é o que é exigido deles com mais urgência. Como podemos nos unir a pecadores em nossas igrejas que ainda não receberam a remissão dos seus pecados e assim chamá-los de santos? Onde nessa terra podemos encontrar pecadores santos? Os pecadores não são santos, mas são simplesmente pecadores.

Deus em Oséias 4:6 declara: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou conhecimento; porque tu rejeitastes o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto de que te esquecestes da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.”

Sabendo que Deus é a base do conhecimento, os seres humanos não podem ler Sua mente nem determinar seu próprio conhecimento construído à semelhança da Torre de Babel, então acabam dedicando ainda mais esforços aos seus próprios atos e obras. É por isso que Deus diz: “Eu não vos conheço.”

Nós podemos ser feitos justos somente crendo puramente na Palavra, 100 por cento nela. Devemos ter a fé que confia tudo completamente a Deus, dizendo: “Tu podes me limpar.” A fé da assim chamada santificação contínua, que declara que Deus nos limpa gradualmente e por etapas, não é a fé da verdadeira salvação.

A fé em Cristo não é contituída por uma mera prática religiosa através da qual podemos alcançar a salvação por nossos próprios esforços e treino moral como a ênfase do Budismo na bondade e no perdão, mas é constituída pela salvação da graça que vem do alto sem contar com nossos esforços – isto é, pelo amor unilateral do Senhor que livrou da morte certa as pessoas que estavam morrendo.

Assim como o leproso foi instantaneamente curado pelo amor e poder do nosso Senhor, nós, também, podemos ser salvos dos pecados de nossos corações pelo amor e poder do nosso Senhor. Quando nosso Senhor ajudou o leproso, Ele lhe disse: “olha não o digas a alguém, mas vai, mostra-te ao sacerdote, e apresenta a oferta que Moisés determinou, para lhes servir de Testemunho.”



A Oferta que Moisés Determinou Refere-se ao Cordeiro de Deus

Levítico 1:1-4 diz: “E chamou o Senhor a Moisés, e falou com ele da tenda da congregação, dizendo: fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: quando algum de vós oferecer oferta ao Senhor, oferecereis as vossas ofertas de gado, de vacas e de ovelhas. Se a sua oferta for holocausto de gado, oferecerá macho sem mancha: à porta de tenda da congregação a oferecerá, de sua própria vontade, perante o Senhor. E porá a sua mão sobre a cabeça do holocausto, para que seja aceito por ele, para a sua expiação.”

Nós podemos ver que a partir do versículo 2 que “a oferta ordenada por Moisés” era gado, vacas ou ovelhas. Após dar essa Lei à humanidade, Deus mostrou a eles o Tabernáculo para capacitá-los a entender que eles eram pecadores. Através do sistema sacrificial do Tabernáculo, Ele nos ensinou como passaria os pecados dos Israelitas – e os nossos próprios pecados também – para o cordeiro do sacrifício e assim nos perdoaria.

Deus nos amou, e para nos salvar dos nossos pecados, ele providenciou a oferta do sacrifício que morreria em nosso lugar. Esse é o cordeiro do sacrifíco e o gado. Quando os sacerdotes colocavam suas mãos sobre a cabeça da oferta queimada, a oferta era aceita por Deus, e essa oferta então fazia expiação por nós.

Quando as pessoas recebem a imposição de mãos de alguém que está demoniacamente possesso, essas pessoas ficam possessas por demônios também. A imposição de mãos significa “passar adiante”; quando o sumo sacerdote colocava suas mãos sobre a cabeça do bode, os pecados de Israel eram então passados a ele (Levítico 16:21). Quando os pecados eram então passados ao bode, e quando esse bode era morto em nosso lugar e seu sangue oferecido a Deus, Ele então aceitava esse sangue e perdoava nossos pecados.

Como nós recebemos a remissão dos nossos pecados? Devemos dar Testemunho disso. A prova da salvação deve ser procurada somente na Palavra, e não é provada pela evidência de ter visões, profetizar, ou falar em línguas. Somente com a Palavra de Deus é que podemos provar como nós fomos pecadores e como agora somos salvos dos nossos pecados. Essa evidência dá Testemunho diante de Deus, diante de Satanás, e diante de todos os seres humanos.

Levítico 4:27-31 afirma: “E se qualquer outra pessoa da terra pecar por erro, fazendo contra algum dos mandamentos do Senhor, aquilo que se não deve fazer, e assim for culpada; ou se o seu pecado, no qual pecou, lhe for noticiado, então trará por sua oferta uma cabra fêmea sem mancha; pelo seu pecado que pecou. E porá a sua mão sobre a cabeça da expiação do pecado, e degolará a expiação do pecado no lugar do holocausto. Depois o sacerdote com o seu dedo tomará do seu sangue, e o porá sobre as pontas do altar do holocausto: e todo o resto do seu sangue derramará à base do altar; e tirará toda a gordura, como se tira a gordura do sacrifício pacífico; e o sacerdote a queimará sobre o altar por cheiro suave ao Senhor: e o sacerdote fará propiciação por ela, e lhe será perdoado o pecado.”

Quando as pessoas comuns ou sacerdotes pecavam involuntariamente, eles traziam um cordeiro, passavam seus pecados para ele colocando suas mãos sobre sua cabeça, e então o ofereciam a Deus. A imposição de mãos significa passar o pecado, e o sacrifício significa morrer no lugar de alguém.

Através das ofertas diárias, Deus está nos mostrando que Jesus veio a essa terra, e assim como esses cordeiros e bodes, Ele aceitou que todos os nossos pecados diários fossem passados a Ele por João Batista.

Todo o povo de Israel no Antigo Testamento recebia a remissão dos seus pecados por crer nisso. Quando eles pecavam não intencionalmente, reconhecendo seus pecados através da Lei, eles imediatamente traziam um cordeiro e confessavam seus pecados impondo as mãos sobre sua cabeça. Os sacerdores então aceitavam essa oferta, cortava seu pescoço, derramava seu sangue, o colocava nas pontas do altar da oferta queimada, e então espargia o restante no chão e no altar. Era assim que os Israelitas recebiam a remissão dos seus pecados.

As pontas do altar de ofertas queimadas referem-se ao Livro das Obras, isto é, o Livro do Juízo. Sempre que pecamos, Deus em Seu Reino escreve nossos pecados no Livro do Juízo, e Ele também os escreve em nossos corações. Pelo fato dos seres humanos serem tão sem vergonha e tentarem até mesmo enganar a Deus, Ele grava seus pecados no Livro das Obras e em seus próprios corações. É por isso que quando aqueles que não receberam a remissão dos pecados oram, os pecados de seus corações vêm à tona, e eles oram assim: “Senhor, por favor perdoe esse pecador.” Contudo devemos saber que Jesus, vindo a esse mundo, aceitou que nossos pecados diários fossem passados a Ele. Somente assim podemos ser libertos de nossos pecados.

Quando o povo de Israel pecava, eles traziam um cordeiro, passavam seus pecados para ele colocando suas mãos sobre sua cabeça, e eram assim perdoados por seus pecados. Os sacerdotes matavam então esse cordeiro e colocavam seu sangue nas pontas do altar da oferta queimada. O sangue é a vida de toda a carne (Levítico 17:14). O sangue expia o pecado. Quando esse sangue era colocado sobre as quatro pontas, Deus, vendo isso, sabia que seus pecados já haviam sido julgados através do cordeiro, e assim não condenava aqueles que os havia passado ao cordeiro.

O fato de Deus levar esses animais à morte ao invés do povo significava o próprio amor de Deus. Quando as pessoas pecavam, elas certamente deveriam morrer, mas porque Deus os amava, animais eram mortos no lugar delas. Esta era a oferta diária estabelecida pelo Deus da justiça.


Levítico 16:29-34 declara: “E isto vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez do mês, afligireis as vossas almas, e nenhuma obra fareis, nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós. Porque naquele dia se fará expiação por vós, para purificar-vos: e sereis purificados de todos os vossos pecados perante o Senhor. É um sábado de descanso para vós, e afligireis as vossas almas: isto é estatuto perpétuo. E o sacerdote, que foi ungido, e que for sagrado, para administrar o sacerdócio no lugar de seu pai, fará a expiação, havendo vestido os vestidos de linho, os vestidos santos: assim expiará o santo santuário, também expiará a tenda da congregação e o altar; semelhantemente fará expiação pelos sacerdotes e por todo o povo da congregação. E isto vos será por estatuto perpétuo, para fazer expiação pelos filhos de Israel de todos os seus pecados, uma vez por ano. E fez Aarão como o Senhor ordenará a Moisés.”

A passagem acima descreve o ritual do Dia da Expiação, quando Deus fazia os Israelitas ofertarem a Ele através do sumo sacerdote uma vez por ano por aqueles que não podiam ofertar todos os dias e por todo o povo de Israel. Através dessa oferta, todo o povo recebia a bênção de ter todos os seus pecados de um ano remidos.

Levítico 16:6-10 atesta: “Depois Aarão oferecerá o novilho da expiação, que será para ele; e fará expiação por si e por sua casa. Também tomará ambos os bodes, e os porá perante o Senhor, à porta da tenda da congregação. E Aarão lançara sortes sobre os dois bodes: uma sorte pelo Senhor, e a outra sorte pelo bode emissário. Então Aarão fará chegar o bode, sobre o qual cair a sorte pelo Senhor, e o oferecerá para expiação do pecado. Mas o bode, sobre que cair a sorte para ser bode emissário, apresentar-se-á vivo perante o Senhor, para fazer expiação com ele, para enviá-lo ao deserto como bode emissário.”

Deus deu aos Israelitas o sistema sacrificial pelo qual eles poderiam passar não somente seus pecados diários à oferta do sacríficio mas também os de um ano inteiro para que eles fossem perdoados de uma vez por todas. Aarão era o irmão mais velho de Moisés e o Sumo Sacerdote. Aarão levava um dos bodes até a tenda do Tabernáculo e passava todos os pecados do povo de Israel para ele impondo suas mãos sobre sua cabeça. Ele então matava o bode e levava seu sangue para além do véu, dentro do Santo dos santos. Esse sangue era totalmente necessário para transpôr o véu e entrar no Santo dos Santos.

O Tabernáculo foi dividido pelo Lugar Santo e o Santo dos Santos. O Sumo Sacerdote só podia entrar no Santo dos Santos onde a Arca do Testemunho foi colocada levando o sangue do sacrifício. Era por ver esse sangue que Deus permitia que Aarão entrasse no Santo dos Santos. Tendo matado o bode que recebeu os pecados de todo o povo de Israel, Aarão então entrava no Santo dos Santos com esse sangue e o espargia com seus dedos sobre o propiciatório para a banda do oriente sete vezes. Porque as campainhas eram atadas as vestes do éfode, sempre que ele espargia o sangue, elas soavam, e ao ouvir o som das campainhas o povo do Israel se reunia do lado de fora do Tabernáculo, e Deus então confirmava a eles que seus pecados haviam sido realmente expiados.

Quer saber mais sobre "A Fé do Credo dos Apóstolos"? Por favor clique no banner abaixo para dos Apóstolos.
The faith of the Apostles' creed

Levítico 16:20-22 declara: “Havendo acabado de expiar o santuário e a tenda da congregação, e o altar, então fará chegar o bode vivo. E Aarão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniquidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, segundo todos os seus pecados: e os porá sobre a cabeça do bode, e envia-lo-á ao deserto, pela mão de um homem designado para isso. Assim aquele bode levará sobre si todas as iniquidades deles à terra solitária; e enviará o bode ao deserto.”

Dos dois bodes, o que sobrava era o bode emissário, “aza’zel” em hebraico (que significa “ele-bode para deixar ir”). Diante de todo o povo de Israel que observava do lado de fora dos portões do Tabernáculo, Aarão confessava todas as iniquidades dos Israelitas, colocava esses pecados sobre a cabeça do bode impondo suas mãos sobre ele, e o enviava ao vasto, inóspito deserto para morrer. A oferta do sacrifício que levava sobre si os pecados certamente morreria. Sacrificando esse bode, Deus libertava o povo de Israel de seus pecados. Nenhuma outra além dessa é a oferta que Moisés determinou. Todas as pessoas do Antigo Testamento receberam a remissão dos seus pecados dessa forma.

Através desse sistema sacrificial, Deus predisse a todos nós que Jesus viria a essa terra, levaria os pecados da humanidade assim como o bode, e apagaria os seus pecados, cometidos diariamente e durante toda sua vida. As pessoas do Antigo Testamento receberam a remissão de pecados através dessa oferta de sacrifício. Agora, vocês, as pessoas do Novo Testamento, devem apenas entender como Deus resolveu o problema de todos os pecados do mundo e dos seus pecados também, e como Ele concedeu a vocês a remissão de todos eles.

O Antigo e o Novo Testamento combinam um com o outro. Devemos agora descobrir no Novo Testamento o que Jesus fez por nós.

Voltar para a Lista

 


Versão para impressão   |  

 
Bible studies
    Sermões
    A declaração de fé
    O que é o evangelho?
    Termos Bíblicos
    FAQ para a Fé Cristã

   
Copyright © 2001 - 2017 The New Life Mission. ALL RIGHTS reserved.